Buscando sua recomendação, aguarde...

Como diversificar sua carteira de investimentos com fundos imobiliários?

carteira de investimentos
Imagem: Canva

Uma das formas de diversificar sua carteira de investimentos é investir em fundos imobiliários (FIIs). Os FIIs são fundos que aplicam em imóveis ou em títulos relacionados ao mercado imobiliário, como letras de crédito imobiliário (LCI) ou certificados de recebíveis imobiliários (CRI). 

Neste artigo, vamos explicar como os FIIs funcionam, quais são as suas vantagens e desvantagens, e como escolher os melhores fundos para o seu perfil.

O que são fundos imobiliários e carteira de investimentos?

Os fundos imobiliários são uma forma de investir em imóveis sem precisar comprar ou administrar um imóvel físico. Os FIIs são constituídos por cotas, que representam uma fração do patrimônio do fundo. 

Ao comprar uma cota de um FII, você se torna um cotista e passa a ter direito a receber uma parte dos rendimentos gerados pelo fundo, que podem vir de aluguéis, vendas, arrendamentos ou dividendos de outros fundos.

Quais são as vantagens dos fundos imobiliários?

Investir em fundos imobiliários pode trazer algumas vantagens, como:

  • Diversificação: os FIIs permitem que você invista em diferentes tipos de imóveis, como residenciais, comerciais, industriais, logísticos, shoppings, hospitais, entre outros. Assim, você pode reduzir os riscos e aproveitar as oportunidades de cada segmento.
  • Liquidez: as cotas dos FIIs são negociadas na bolsa de valores, o que facilita a compra e a venda dos seus investimentos. Você não precisa esperar por um comprador ou vendedor para realizar uma transação, como acontece no mercado imobiliário tradicional.
  • Renda passiva: os FIIs distribuem periodicamente uma parte dos seus lucros aos cotistas, na forma de dividendos. 
  • Acesso: os FIIs permitem que você invista em imóveis de alto padrão e localização privilegiada com um valor inicial baixo. Você pode comprar cotas de um FII com menos de R$ 100, dependendo do preço e da quantidade disponível no mercado.

Quais são as desvantagens dos fundos imobiliários?

Investir em fundos imobiliários também pode trazer alguns desafios, como:

  • Risco: os FIIs estão sujeitos às oscilações do mercado imobiliário e da bolsa de valores. O valor das cotas pode variar conforme a oferta e a demanda, a qualidade dos imóveis, a gestão do fundo, a taxa de vacância, a inadimplência dos inquilinos, entre outros fatores. Além disso, os FIIs podem sofrer com eventos extraordinários, como incêndios, enchentes ou desapropriações.
  • Custos: os FIIs cobram taxas de administração e gestão para cuidar dos imóveis e dos investimentos do fundo. Essas taxas podem reduzir a rentabilidade dos cotistas. Além disso, os FIIs estão sujeitos ao imposto sobre operações financeiras (IOF) e ao imposto de renda sobre o ganho de capital na venda das cotas.
  • Complexidade: os FIIs envolvem aspectos jurídicos, contábeis e tributários que podem ser difíceis de entender e acompanhar. É preciso ler o regulamento do fundo, analisar os relatórios gerenciais e financeiros, declarar os rendimentos no imposto de renda e estar atento às mudanças nas regras do mercado.

Como escolher os melhores fundos imobiliários?

Para escolher os melhores fundos imobiliários para o seu perfil, é preciso considerar alguns critérios, como:

  • Tipo de fundo: existem diferentes tipos de FIIs conforme a estratégia e o objetivo do fundo. Os principais são: fundos de renda (que buscam gerar rendimentos constantes com aluguéis ou recebíveis), fundos de desenvolvimento (que investem na construção ou reforma de imóveis para venda ou locação), fundos híbridos (que combinam as duas estratégias anteriores) e fundos de fundos (que investem em cotas de outros FIIs).
  • Segmento de atuação: cada segmento do mercado imobiliário tem suas características, riscos e oportunidades. É importante avaliar o potencial de valorização, a demanda, a concorrência, a localização, a qualidade e a diversificação dos imóveis do fundo.
  • Gestão: a gestão do fundo é responsável por definir a política de investimentos, selecionar os imóveis, negociar os contratos, administrar os recursos e distribuir os rendimentos. É fundamental verificar a experiência, a reputação, a transparência e o alinhamento de interesses da gestão com os cotistas.
  • Indicadores financeiros: os indicadores financeiros permitem medir o desempenho e a rentabilidade do fundo. Alguns dos principais são: preço por cota, valor patrimonial por cota, dividend yield (relação entre o dividendo pago e o preço da cota), taxa de vacância (percentual de imóveis desocupados), taxa de administração e gestão, lucro por cota e retorno sobre o patrimônio líquido.
  • Risco x retorno: o risco x retorno é a relação entre o nível de risco e o potencial de retorno de um investimento. Em geral, quanto maior o risco, maior o retorno esperado, e vice-versa. 

Pontos fundamentais sobre carteira de investimentos

É importante avaliar se o risco x retorno do fundo está de acordo com o seu perfil e os seus objetivos.

Investir em fundos imobiliários pode ser uma forma de diversificar sua carteira de investimentos e obter renda passiva com imóveis. No entanto, é preciso conhecer bem o funcionamento, as vantagens, as desvantagens e os critérios para escolher os melhores fundos de carteira de investimentos para o seu perfil. 

Lembre-se também de diversificar seus investimentos em diferentes tipos, segmentos e gestores de FIIs, para reduzir os riscos e aumentar as chances de sucesso.

Recomendamos também: