Buscando sua recomendação, aguarde...

Programas de inclusão digital: igualdade e oportunidades

programas de inclusão digital
Imagem: Canva

A inclusão digital abarca a habilidade de todas as pessoas em participar e se beneficiar da economia e sociedade digital. Isso envolve diversos aspectos, como acesso às tecnologias da informação e comunicação (TIC), infraestrutura garantida, preços acessíveis e facilidade de uso.

Além disso, a inclusão digital requer o desenvolvimento de habilidades digitais, confiança e segurança no uso das TIC, bem como participação cidadã e democrática nos espaços digitais.

Qual é o propósito da inclusão digital?

A inclusão digital desempenha um papel crucial na redução das desigualdades econômicas e sociais, especialmente em países em desenvolvimento como o Brasil. Segundo dados do IBGE, mais de 28 milhões de pessoas no país nunca acessaram a internet, o que equivale a 15% da população.

Além disso, há uma grande disparidade regional no acesso à internet, com mais de 80% dos domicílios nas regiões Sul e Sudeste possuindo conexão, em comparação com menos de 60% nas regiões Norte e Nordeste.

Diante desse contexto, é crucial que o governo brasileiro invista em políticas públicas de inclusão digital, que combinem fontes de financiamento do setor de telecomunicações, atendam às necessidades, atualizem as normas e implementem programas específicos.

As questões relacionadas à inclusão digital estão sendo abordadas no eixo habilitador denominado “Infraestrutura e acesso às Tecnologias da Informação e Comunicação”.

Principais programas governamentais de inclusão digital

ProInfo – Programa Nacional de Tecnologia Educacional, destinado a promover o uso da tecnologia como ferramenta pedagógica no ensino público fundamental, médio e básico.

Programa Governo Eletrônico: Serviço de Atendimento ao Cidadão (Gesac) – voltado principalmente para comunidades em situação de vulnerabilidade social. Além disso, é importante frisar que se trata daqueles que não possuem outras formas de inserção no mundo das tecnologias da informação e comunicação.

Programa Cidades digitais: iniciativas nas seguintes frentes: construção de redes de fibra óptica que conectam órgãos públicos locais.

Sendo assim: disponibilização de aplicativos de governo eletrônico para as prefeituras; capacitação de servidores municipais para o uso e gestão da rede. Além de oferta de pontos de acesso à internet gratuitos e disponíveis em espaços públicos de grande circulação, como praças, parques e rodoviárias.

Computadores para Inclusão – espaço físico adaptado para o recondicionamento de equipamentos eletroeletrônicos. Bem como para a realização de cursos e oficinas voltados para a formação cidadã e profissional de jovens em situação de vulnerabilidade social, com foco no processamento e pleno funcionamento dos equipamentos. 

Após a reforma, os equipamentos são doados a pontos de Inclusão Digital, como telecentros, escolas públicas e bibliotecas.

Programa Wi-Fi Brasil (Gesac) – direcionado principalmente para comunidades em situação de vulnerabilidade social em todo o Brasil. Que não têm outra forma de inserção no mundo das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs).

Pontos importantes

Esses programas são essenciais para garantir que todos os brasileiros tenham oportunidades iguais na sociedade digital.

No entanto, ainda há muitos desafios a serem superados, como a redução da carga tributária sobre os serviços de telecomunicações, que chega a mais de 40% no Brasil.

O uso adequado dos fundos setoriais, como o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust), que foi criado há mais de 20 anos.

Mas, nunca foi utilizado para expandir a conectividade, e a promoção da educação digital para que as pessoas possam usar as TICs com segurança e responsabilidade.

Recomendamos também: